quinta-feira, 16 de junho de 2011

Due

'Sempre desconfiei que, durante a nossa existência, nos depararíamos com determinados vórtices do destino, que, ao sermos submetidos a eles, nos multiplicaríamos em infinitas séries de probabilidades de nós mesmos desencadeando um berçário de universos.'
Lobão
_
Deve ter chegado pra você em algum momento: olhar pra trás e lembrar do caminho que meus olhos fizeram até os teus. Nos engolimos. Foi forte demais e eu, humildemente, não consigo desenhar aqui nestas parcas linhas tudo o que senti quando te vi ali. Porque tudo parou, porque silenciamos nosso corpo, nos desligamos e só estávamos no caminho dos olhos, dos meus aos teus. Apesar do medo, dos erros suplantados pelo desejo. Duas pessoas perdidas no meio de um tempo que nunca acerta e não temos como lutar contra a força tão grande que é o acaso, o destino.

Está chegando a hora de eu ir embora, porque eu ou você, sob que circunstâncias doerá mais: você ir embora ou eu te deixar aqui? Espero ter tempo, o vento mudar o rumo. Dói perceber que sempre iremos por lados diferentes, mas sei que o teu passado e o meu presente sempre se cruzarão em algum ponto de nossas vidas: nossas caras lembranças. Sei que agora estamos num imenso deserto, somos dois grãos de areia que estão bem pertinho e que por hora seremos apanhados pelo mesmo pingo de chuva mas não tardará e vem uma tempestade para nos distanciar uma vez mais. É sempre assim, seremos assolados mais uma vez por silêncios, por reticências que nunca saberemos o que querem dizer.

10 comentários:

Fernand's disse...

uma parte da minha biografia...
a diferença: ele que foi e eu fiquei. sobrevivi e ambos sabemos que nada acabou. talvez nossas reticências um dia aconteçam. talvez não.

temos olhos que nos reconhecem em qualquer lugar do mundo.



lindo seu texto!
bjsmeus

Felipe disse...

Assim somos nós, seres viventes, seres que por nosso entendimento julgamos o que é o amor, a saudade, a paixão o ódio, mas só nos sabemos o que sentimos em relação a cada sentimento, é pessoal e ao mesmo tempo comum, pelo menos pra mim é comum!
Parabéns! Lindo!

Ana Luiza Cabral disse...

Não sei... Seu blog tem um pouco de mim. Essa sensibilidade com que usa as palavras me encanta. Adorei! Voltarei sempre. Beijos!

Ananda Sampaio disse...

Acredito que estas palavras de três mestres servirão bem melhor que as minhas!
"Que a vida, Maria
Não passa de um dia
Não vou te prender
Corre, Maria
Que a vida não espera
É uma primavera
Não podes perder
Anda, Maria
Pois eu só teria
A minha agonia
Pra te oferecer"

(Chico Buarque/Tom Jobim/Vinícius de Moraes)

te amo!
=*

@Francisquices disse...

Sempre acontece dessas coisas, quando achamos que é essa pessoa a certa de repente essa pessoas tem que parte por algum motivo...

soudepeixes disse...

intenções e sintonias diferentes que cercam o que acreditamos ser destino. Lindo texto, tempão que nao passava por aqui; bjs!!!

Cynthia Osório disse...

dois em um e em outro.lindo texto!
Bjos, Lú!

On The Rocks disse...

curti. massa!

bj

Anônimo disse...

Coisa linda, a melhor do domingo!

cristovao junior
sertaodeverso.blogspot.com

URBAN.GO disse...

Lindo texto!
Continuas a usar e muito bem, o coração na ponta da caneta.
Bjs, fica bem meu "Mustang".

Seguidores