terça-feira, 24 de maio de 2011

P.s.: só mais um detalhe,

aquele coração pintando no pulso não foi à toa. Te ter nesse domingo melancólico e cinzento foi algo bastante compreensível - dizem que quem se ama sempre acaba por se encontrar.
O mês de maio e seus ventos frios parecem escrever por si sós essa história de quem rema sozinho. Esse barco vai sendo levado por dois braços, apenas. Mas isso não dói tanto quanto pode parecer, não sinto o menor constrangimento dos olhos ou dedos alheios apontando pros sorrisos que ninguém, além de nós, sabe de onde sobrevivem.
Tenho orgulho e cuidado com o segredo que carrego. Por ser forte, intocável e crescente, talvez mutável, mas sempre será segredo. Lindo e caro.
Sem mais, eis-me intraduzível: saudade.

7 comentários:

Jullyane disse...

Quando a gente carrega uma vontade no peito, uma felicidade no rosto, não se importa com quantos olhares atravessados recebemos. A alegria é uma coisa que entra no coração da gente sorrateiramente e faz toda a diferença em nossas vidas.

Bjo bjo, amiga

Ananda Sampaio disse...

não tenho palavras. Está tudo tão
bem codificado - subjetivamente codificado q não devo me atrever a tentar traduzi-lo!
;)

Evanir disse...

Querida ..
Muito lindo sua forma de escrever e se expressar no seu blog .
Creia sabe colocar pra fora tudo que -lhe vai na alma.
Sigo seu blog beijos e beijos meus,Evanir..
www.viagem1.blogspot.com

Nelson Soares disse...

Um óptimo texto em que a prose se encontra com a poesia. Adorei. E deixa que esse segredo se transforme sempre em cumplicidade, recordação, prazer e alegria. Porque a saudade não tem que ter essa negritude à qual quase todos a tentam votar...


Stay Well

Cynthia Osório disse...

"segredo lindo e caro", só isso!

gabs. disse...

segredo e saudade. eu acho uma combinação pergosíssima.

Camilla Mendes disse...

Sem comentários. Intraduzível, como tu mesmo dizes.


Lindoo!!!

Seguidores