terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O que não é perfeito




Todas aquelas lágrimas congelaram, agora tem uma força bruta aqui dentro. Isso não é uma bandeira hasteada em honra ao jogo sujo que venci. Eu não queria ter me machucado tanto nem ter virado essa tua cabeça que quer entender a semântica de um amor que não desata.
Eu precisei de muita embriaguez, noites viradas, maquiagens desfeitas, ironias explícitas; eu precisei de você: uma dose de remédio para a cura é o veneno.
Em tantos momentos me culpei, porque sou assim, turva, o que não é claro, a subjetividade, digo tudo isso quando sou alguém que fala do que sente e do pavor que é estar longe de você; da incerteza do futuro, não saber se é melhor agarrar a tua mão e abraçar todas as nossas delicadezas infindáveis, a densidade do que é sermos um par
Ou
deixar escorrer pelo corpo inteiro o que há de você em mim quando pego a estrada e o vento brinca com meus cabelos e juízo.




Luciana Lís

8 comentários:

Gabriele Fidalgo disse...

Meu deus, que verdadeiro, que profundo!
Uma lágrima congelada foi derretida para formar esse texto!

um beijo! :*

Iasminne Fortes disse...

Deixar escorrer de forma natural e nos trazer de volta a paz. Aquela paz que nos faz acordar com o coração sem peso, cobrança e incertezas do futuro. Não nego que toda essa paz é difícil quando se é intensa demais. Nós sabemos!

adorei, Lu =)
feliz 2010 pra nós!

Vinicius disse...

Melhor ainda quando o que nos faz bem somos nós mesmos...

Estou tentando estar de volta!

Feliz 2010.

Dayne S. disse...

'Ou deixar escorrer pelo corpo inteiro o que há de você em mim quando pego a estrada e o vento brinca com meus cabelos e juízo...'

Mágico, intenso, verdadeiro e mágico, Lu ;*

Iasminne Fortes disse...

cadê? to com saudade das tuas escritas. Não some! =*

Jullyane disse...

Torcendo por vc sempre, mesmo que distante, Lu... Ah, e qdo aparecer em Phb, lembra de mim, tá? Vamos tomar umas e conversar besteiras?

Beijos

Julia disse...

Lindo! Me identifiquei muito.

URBAN.GO disse...

Luciana, tu escreves com o coração, noto na tua escrita a pressa do teu folego, a imensa inspiração que transborda por ti, e em ti.
é de quem tem um dom, tu tens ... e muito. Obrigado por escreveres.
Urbano Gonçalo.

Seguidores